Home / Dicas para iniciantes / Tesouro Direto: O que é, como funciona e como investir

Tesouro Direto: O que é, como funciona e como investir

Tesouro Direto - o que é e como funciona - Brasil - Seu Guia de Investimentos

Neste artigo vou explicar o funcionamento do Tesouro Direto, como podemos investir neste importante Título da Renda Fixa no mercado financeiro brasileiro, suas vantagens e os itens que você deve observar ao investir nos Títulos Públicos Federais através do Tesouro Direto.

Se você quiser aprender também a investir em ações, baixe o meu e-book “Guia 3 Passos Pra Investir Em Ações”, clicando aqui.

O Tesouro direto é na verdade, um canal que o governo criou, para vender títulos de dívida para pessoas físicas, mais especificamente pequenos investidores. Através deste canal, o governo oferece a possibilidade ao investidor de começar seus investimentos com pequenas quantias (a partir de R$ 30), em prazos que podem variar de 1 até 20 anos ou mais.

Qual diferença entre comprar títulos pelo Tesouro Direto ou pela Corretora?

O Tesouro Direto é apenas uma modalidade de compra dos Títulos Públicos. Se você quer aprender como investir no Tesouro Direto precisa saber que é preciso ter conta em corretora para poder comprar os títulos. A diferença é que quando se trata do Tesouro Direto, há muitas Corretoras que não cobram taxas para a compra dos Títulos do Governo. Você pode consultar as taxas cobradas pelas corretoras neste link. Corretoras que estejam indicadas como “agentes integrados” são as que tem seus sistemas integrados ao do Tesouro Direto. Você pode realizar a compra através do próprio sistema do Tesouro Direto (veja neste artigo como) ou pelo sistema de sua corretora. Outro ponto importante é que através do Tesouro Direto o investidor pode comprar pequenas partes dos títulos, de 10% do preço unitário de cada título, ou 1% no caso de compras agendadas.

Vantagens de Investir no Tesouro Direto

Os Títulos do Governo são ótimas formas de investir na renda fixa pois oferecem retorno competitivo a um baixo risco. O risco da aplicação em Títulos do Governo está ligado ao perfil da dívida pública. 

Em aplicações de renda fixa com retornos maiores, como por exemplo em alguns fundos Multimercados, o risco também é muito superior. Além disso esses tipos de investimentos geralmente demandam um aporte inicial muito alto. Um bom exemplo para ilustrar isso são as LCIs (Letras de Crédito Imobiliário). A maior parte das LCIs que você vai encontrar no mercado vão exigir um investimento inicial que começa com pelo menos R$ 2 mil. No Tesouro Direto a história é bem diferente. É possível começar a investir a partir de R$ 30 se você realizar as compras agendadas. Para acessar um passo a passo de como realizar as compras agendadas, veja este este link.

Passo a Passo para Investir no Tesouro Direto

Aprender como investir no Tesouro Direto não é difícil, só é preciso ter atenção. Primeiro, abra conta numa corretora. Escolha bem a corretora que oferece o que você precisa a um bom preço. No meu Guia Invista em ações em 3 passos eu tenho um capítulo que ensina a escolher corretoras. Baixe ele aqui.

Você vai precisar enviar uma série de documentos para abrir sua conta num processo parecido ao de abrir uma conta num Banco. Verifique as taxas cobradas pela corretora de seu Banco. Há casos em que vale a compra dos títulos através dela quando as taxas cobradas são competitivas.

O que observar na compra de um Título pelo Tesouro Direto

Quando você for comprar um Título no Tesouro Direto há quatro pontos que você deve observar:

1. Prazo da aplicação
2. Taxa de retorno prometida
3. Tipo de pagamento dos juros (cupons semestrais ou resgate do principal)
4. Taxa de juros da economia no período vigente

1. Prazo da aplicação: é preciso se atentar ao tempo que seu dinheiro vai ficar aplicado neste tipo de investimento. Geralmente os rendimentos mais altos são oferecidos pelos títulos de prazo mais longo (20 anos por exemplo). Neste caso o risco que você corre por conta de oscilações nas taxas de juros da economia, como a taxa Selic, é muito maior do que se você comprar títulos de prazos menores de vencimento.

2. Taxa de retorno prometida: Existem três tipos de retornos possíveis quando se investe nos Títulos Públicos: os pré-fixados, os pós-fixados e os indexados:

  • Títulos Públicos Pré-fixados: são aqueles que oferecem uma taxa de retorno fixa de antemão. Investindo neste tipo de título você já sabe o quanto seu dinheiro vai render ao final do prazo do investimento. Dentro desta categoria encontramos apenas dois Títulos Públicos: as LTNs (Tesouro pré fixado) e as NTN-F (Tesouro pré fixado com cupons);
  • Títulos Públicos Indexados: são títulos cuja rentabilidade está dividida em duas partes – uma parte é dada pela variação de algum índice, e outra parte é um valor fixo de juros somados à variação do índice (por exemplo: IPCA + 6% ao ano). Nesta categoria os Títulos podem estar indexados à variação do IGP-M, como as NTN-C (Notas do Tesouro Nacional Série C), à variação do IPCA como os Títulos NTN-B (Tesouro IPCA) e NTN-B Principal (Tesouro IPCA sem cupons de juros).
  • Títulos Públicos pós-fixados: são títulos cuja rentabilidade está atrelada à variação de alguma taxa de juros, entre a data da compra e a data do vencimento do título. Nesta categoria encontramos a LFT (Tesouro Selic).

Você pode consultar a rentabilidade de cada Título Público sendo negociado pelo Tesouro Direto neste link. Você também pode consultar os preços dos Títulos sendo negociados neste momento neste outro link.

3. Tipo de pagamento de juros: há dois tipos de pagamentos de juros pelos Títulos do Tesouro Direto: pagamento único ao final do prazo do investimento, ou pagamento de cupons de juros semestrais durante o período do investimento.Os cupons de juros são tributados pela tabela regressiva do Imposto de Renda, e quando colocados novamente no investimento reinicia a contagem do prazo para novo pagamento do Imposto de Renda. Leia este meu artigo falando sobre cupons de juros pra entender mais!

4. Oscilação da taxa de juros da economia no período:  a Taxa Selic é que vai determinar se o Título Público que você comprou pelo Tesouro Direto estão tendo um bom rendimento ou não. Se você comprou um título pré-fixado, e os juros da economia subiram, pode existir vantagem em vender este título e comprar um com uma nova taxa. Mas é preciso saber quando é a hora certa de vender, e se os preços dos títulos que estão sendo vendidos valem a pena para você fazer esta troca. Por isso é preciso analisar caso a caso e avaliar o título mais adequado para o seu perfil de investimento considerando os quatro pontos citados.

Custos do investimento no Tesouro Direto

Com relação aos custos que o investidor tem ao comprar títulos do governo pelo Tesouro Direto, existem duas taxas:

  • Taxa de custódia: 0,3% ao ano sobre o valor total da sua carteira (cobrada semestralmente pela CBLC);
  • Taxa de administração da corretora: que vai depender da corretora onde você comprar o título. Muitas não cobram esta taxa. O Tesouro Direto tem lista com as taxas máximas dos agentes de custódia (ou corretoras) que você pode visualizar neste link.

O Tesouro Direto elaborou um “Manual do Investidor” contendo todos os detalhes sobre como Investir em Títulos Públicos, abrir conta num agente de custódia, horário de funcionamento e muito mais. Vale a pena ler este manual.

Conclusão: vale a pena investir em Títulos Públicos pelo Tesouro Direto?

Tesouro Direto - rendimentos - Seu Guia de Investimentos Títulos Públicos comprados pelo Tesouro Direto são uma ótima alternativa de investimento. Eles combinam baixo risco com alto rendimento – e esse combinação não é comum nos investimentos de Renda Fixa.

O risco de não pagamento é baixo e está ligado ao perfil de dívida do governo o que pode ser evidenciado por seu rating. No site do Tesouro Direto há diversas informações sobre a Dívida Pública, que você pode consultar neste link.

Mas, mesmo sabendo que estes títulos são boas opções de investimento, a decisão de investir deve ser resultado se suas próprias análises, considerando seus objetivos com seu capital, sua carteira de investimentos, o seu perfil de investimento. Por isso, se você está aprendendo como investir seu dinheiro, pesquise bem e tome decisões com consciência baseado em suas próprias análises.

Se você quer aprender mais sobre como investir no Tesouro Direto, acesse o meu Mini-Curso Gratuito “Desvendando o Tesouro Direto“. Acesse o primeiro artigo da série clicando aqui.

Gostou deste artigo sobre como investir no Tesouro Direto? Compartilhe com seus amigos! Vamos ajudar a educação financeira atingir todos que estão à nossa volta! E deixe um comentário, pois essa troca é muito positiva!

Compartilhe este artigo também com seus amigos nas redes sociais:


Recomendo a leitura:

[magicactionbox]

Sobre Gisele

Sou apaixonada por finanças e investimentos. Essa paixão começou em 2004 quando comecei a investir em ações. Aqui no site tenho como objetivo ajudar meus leitores a entender como o mercado financeiro e a economia estão presentes no seu dia-a-dia e a melhorar sua capacidade de tomar boas decisões de investimentos para suas vidas. Eu invisto através da filosofia de investimento em valor e análise fundamentalista. Quero dividir um pouco do que aprendi com vocês e também, aprender sempre mais através dos seus comentários e suas dúvidas.

2 comentários

  1. Carlos

    Olha, sou bem novo no assunto investimento. Mas vamos colocar ai que eu faça um investimento no tesouro direto, para tirar dentro em um mês, investindo R$300,00, qual a quantia que me renderia?
    Lembre-se, posso estar falando besteira, e eu me interesso pelo assunto pelo dinheiro mesmo. Quero me tornar um investidor. Portanto, essa situação hipotética que eu falei ai em cima, qual seria o retorno num mês?

    Vlw

    • Olá Carlos,

      Experimente utilizar a calculadora do Tesouro Direto, que o governo disponibiliza pra esses fins, fica na própria página onde você consulta o preço dos títulos. Não faço este tipo de calculo no site, pois o intuito deste site é estimular os leitores a fazerem seus próprios cálculos e análises, e a utilizarem o site como fonte de conhecimento que os ajude a pensarem por si próprios.

      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *