Home / Dicas para iniciantes / Como funciona o investimento em ações [Mini-Curso|4]

Como funciona o investimento em ações [Mini-Curso|4]

Mini Curso como investir em acoes - caracteristicas das acoes - seu guia de investimentosNo artigo de hoje você vai aprender como funciona o investimento em ações, quais são as características do investimento em ações, os tipos de ações de acordo com os lotes de negociação, siglas e tipos de remuneração aos acionistas . Esse é o 4º artigo do Mini-Curso “Como Investir em ações”. 

Tipos de ação por lotes de comercialização

As ações são comercializadas em lotes ou em frações dos lotes. Lotes são quantidades padronizadas, e estabelecidas como lotes padrão, como por exemplo acontece com as ações da Petrobrás que são comercializadas em lotes de 100. Quando a ação é comercializada em lotes padrão, as transações são feitas no Mercado à vista. Esse mercado é em geral utilizado pelos investidores de maior porte que comercializam altos volumes.

Quando o investidor deseja compra ou vender quantidades menores que o lote padrão, ele precisa se valer do Mercado Fracionário. Em geral atuam no Mercado Fracionário investidores de menor porte, que atuam realizando transações em pequenos volumes.

Para saber mais sobre os lotes, veja o artigo anterior deste Mini-curso.

Tipos de ação por siglas e seus significados

Outra informação relevante a respeito do investimento em ações está relacionada às siglas que representam cada tipo de ação. Você com certeza já deve ter se perguntado o que significa aquela sequencia de letras e números, como por exemplo: VALE3, VALE5, PETR3 ou PETR4. Essas combinações indicam diferentes tipos de ação. As letras são a abreviação do nome da empresa, já os números dizem respeito ao tipo de ação que ele representa com relação aos direitos e recibos. Veja abaixo a relação dos números e significados de cada tipo de ação:

  • 1: direito de subscrição de ações ordinárias
  • 2: direito de subscrição de ações preferenciais
  • 3: ação ordinária (ON)
  • 4: ação preferencial (PN)
  • 5: ação preferencial classe A (PNA)
  • 6: ação preferencial classe B (PNB)
  • 7: ação preferencial classe C (PNC)
  • 8: ação preferencial classe D (PND)
  • 9: recibo de subscrição de ações ordinárias
  • 10: recibo de subscrição de ações preferenciais.

A rentabilidade do investimento em ações e formas de remuneração ao acionista

Como eu disse em artigos anteriores, a rentabilidade das ações é variável e depende de muitos fatores. Além da diferença entre o preço na compra e na venda, existem ainda outras formas que a ação pode remunerar o acionista. Veja abaixo:

  • Dividendos: são a parte do lucro que a empresa distribui aos acionistas. A quantidade de dividendos que um acionista recebe é proporcional à quantidade e ao tipo de ações que ele possui. Os dividendos podem ser pagos em dinheiro, ações ou bônus de subscrição. Os percentual do lucro que é distribuído como dividendo é definido no estatuto social da empresa (por isso, sempre leia o estatuto das ações de seu interesse);
  • Bonificação: é o direito que um acionista tem de receber uma quantidade de ações proporcional ao aumento de capital da empresa (proveniente de reservas patrimoniais);
  • Juros sobre Capital Próprio (JSCP): São pagos baseados nas reservas de lucros das empresas, ou seja, nos lucros apresentados nos anos anteriores e que ficaram retidos na empresa (não foram distribuídos como dividendos). Diferente dos dividendos, que são isentos do imposto de renda (já que a empresa já os pagou), o acionista paga 15% de Imposto de Renda quando recebe juros sobre o capital próprio da empresa. Como o ônus do Imposto de Renda da empresa é transferido para o acionista, muitas empresas preferem distribuir parcela do lucro como juros sobre o capital próprio. Porém há um limite definido pela Lei (ver este link no site da Receita Federal). A empresa somente pode distribuir juros sobre capital próprio até o limite de 50% dos lucros do exercício ou dos lucros acumulados na reserva; e há também outra proteção: o valor líquido do JSCP é computado como dividendo obrigatório, ou seja, paga-se o valor do JSCP equivalente ao que seria do dividendo, descontando-se o imposto de renda. 
  • Desdobramento (ou Split): Ocorrem quando há nova emissão de ações. Nesse caso a empresa precisa substituir os papéis que já estão em circulação por novas ações com valor nominal menor do que o da emissão anterior, mas em quantidades maiores. O Split é simplesmente a troca de ações de valores maiores por várias ações de menor valor. A operação inversa que é o agrupamento de ações, é chamada de inplit.

Emissão de novas ações através do aumento do capital (subscrição)

Quando a empresa aumenta seu capital através da emissão de novas ações, ocorre uma subscrição. A subscrição é simplesmente a emissão de novas ações que tem como objetivo captar recursos no mercado. Como já expliquei em artigo anterior, a empresa abre seu capital porque deseja captar recursos através de uma fonte alternativa a empréstimos Bancários e afins.

Quando a empresa já tem ações negociadas em bolsa e deseja captar ainda mais recursos, lançando novas ações no mercado, ela aumenta seu capital com a subscrição de novas ações. Quando o acionista já possui ações da empresa e ela está realizando esse tipo de operação, ele tem o direito de adquirir essas novas ações, para manter a mesma participação acionária que já possui, a um preço pré-definido. O direito de subscrição é uma proteção para os acionitas, para que se evite que sua participação seja diluída numa eventual subscrição de novas ações.

É possível ainda negociar os direitos de subscrição na Bolsa, como se fossem uma ação. Eles são negociados como o mesmo código da ação, seguidos dos números 1 e 2 (veja acima neste mesmo artigo, a tabela com relação do significado dos números das ações).

No próximo artigo iremos explorar mais a fundo como o investidor pode ter rentabilidade ao investir em ações e a estratégias de investimento mais populares e que você também pode utilizar pra investir em ações na Bolsa!

Gostou deste artigo do mini-curso “Como Investir em ações”? Compartilhe com seus amigos! Vamos ajudar a educação financeira atingir todos que estão à nossa volta! E deixe um comentário, pois essa troca é muito positiva!

Compartilhe este artigo também com seus amigos nas redes sociais:

 

Artigos deste Mini-Curso:

 

Outras Leituras sugeridas:

 

[magicactionbox]

Sobre Gisele

Sou apaixonada por finanças e investimentos. Essa paixão começou em 2004 quando comecei a investir em ações. Aqui no site tenho como objetivo ajudar meus leitores a entender como o mercado financeiro e a economia estão presentes no seu dia-a-dia e a melhorar sua capacidade de tomar boas decisões de investimentos para suas vidas. Eu invisto através da filosofia de investimento em valor e análise fundamentalista. Quero dividir um pouco do que aprendi com vocês e também, aprender sempre mais através dos seus comentários e suas dúvidas.

2 comentários

  1. Misael da Silva

    Olá Gisele.
    Obrigado por mais um artigo muito explicativo.
    Não sei que entendi assim: Os dividendos são lucros da empresa do ano letivo (ou fechamento do balanço Patrimonial) e o JSCP é de anos anteriores e tem que descontar os 15%.
    Qual a vantagem e a desvantagem do desdobramento. ( para o acionista).
    Desde já agradecido e tenho um bom começo de semana.
    Deus te abençoe.

    • Olá Misael! Obrigada pelo seu comentário aqui no site!

      Desculpe a demora em responder você! Minha rotina está muito corrida! São muitas dúvidas que você apresentou por vou tentar responder a todas estas dúvidas nos artigos pra que outros leitores também fiquem por dentro das respostas, e também porque fica mais fácil ja que aqui nos comentários eu não consigo colocar muito texto. Vou tentar postar o mais rápido possível pra ajudar você e os leitores do site também! :-).

      Deus abençoe você também! Uma ótima semana! Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *