Home / Investimento em ações e conteúdo avançado / Índice de Sharpe: o que é e para que serve

Índice de Sharpe: o que é e para que serve

O índice de Sharpe - Seu Guia de InvestimentosNeste artigo você vai ficar por dentro do que é e como funciona o Índice de Sharpe. Muitos analistas falam sobre este índice, mas será que ele é realmente uma ferramenta útil para o pequeno investidor? Veja abaixo!

O índice de Sharpe é muito conhecido no mercado financeiro. Mas, nem todos os indicadores que existem são úteis pra quem investe em ações. Se você quiser aprender a investir em ações baixe o meu ebook, ou leia este artigo.

Pra entender o Índice de Sharpe é preciso saber pra que ele serve. Ele mostra se a expectativa de retorno de uma carteira de investimentos tem a ver com a qualidade de cada um dos investimentos que a compõem (ou seja, baixo risco e alto retorno), ou se essa expectativa de retorno está ligada ao risco dos investimentos (porque investimentos com maior risco oferecem também maior retorno). O índice de Sharpe foi criado pelo prêmio Nobel de Economia William Forsyth Sharpe.

A formula para calcula-lo a primeira vista até parece complicada, mas não é, por isso não se assuste. Veja abaixo:Índice de Sharpe - o que é e para que serve 2 - equação - Seu Guia de Investimentos(Para saber o que é um “benchmark”, leia este meu artigo.)

Essa fórmula pode ter deixado você assustado. Se você estiver dando os seus primeiros passos com investimentos, este artigo sobre o índice Sharpe pode técnico demais. Se esse for o seu caso, eu recomendo que leia os artigos para iniciantes (clique aqui) e os de ações (clique aqui). Baixe também o meu e-book sobre os tipos de investimentos. Com eles, vai aprender a base sobre investimentos. Garanto que ao final dessas leituras, você terá mais conhecimento pra poder começar a entender a parte mais técnica sobre investimentos, como por exemplo, o índice Sharpe. 🙂

O que significa a medida calculada pelo Índice de Sharpe?

Índice de Sharpe - o que é e para que serve - William Sharpe - Seu Guia de InvestimentosA medida calculada pelo Índice de Sharpe indica se a expectativa de retorno de uma carteira de investimentos é resultado de bons investimentos ou do excesso de risco dos investimentos que a compõem. O desvio padrão da equação do Índice de Sharpe mede a quantas unidades de variação o investidor está exposto ao escolher cada um dos ativos que vão compor a sua carteira.

Se o desvio padrão é alto, isso quer dizer que a probabilidade futura de retorno tem grande volatilidade. Vale lembrar que a expectativa de retorno (Rp) é a aquela que geralmente os investidores definem utilizando o modelo CAPM (que também foi desenvolvido por Sharpe).

Uma breve introdução sobre o modelo CAPM:

Antes de continuar, quero fazer algumas considerações sobre o CAPM, porque as informações geradas por ele são as utilizadas no Índice de Sharpe. O modelo CAPM, ou “Capital Asset Pricing Model” possui algumas limitações quando se deseja analisar a expectativa de retorno de uma carteira de investimentos. Veja abaixo algumas limitações que o Modelo CAPM possui:

  • O modelo assume que não existem custos de transação e que não há investidores com informações privilegiadas no mercado;
  • Os parâmetros utilizados no modelo não podem ser estimados com grande precisão pois o retorno do mercado utilizado como premissa no CAPM pode variar durante o período em que os dados foram coletados (as empresas podem ter mudado durante este período);
  • O CAPM não explica totalmente a relação entre o risco e o retorno de um investimento. Se o CAPM conseguisse relacionar perfeitamente estas variáveis, deveria haver uma relação linear entre retornos e Betas, porém a única variável que explica os retornos é o Beta da equação;
  • A correlação entre retornos e Betas não é tão forte quando comparamos o retorno com outras variáveis tais como tamanho da empresa, volume, preço, valor contábil. Essas variáveis, geralmente, explicam melhor as diferenças entre retornos das empresas.

Como interpretar o Índice de Sharpe?

Índice de Sharpe - o que é e para que serve - sigma ou desvio padrão - Seu Guia de InvestimentosDiante de todos estes pontos, podemos interpretar o índice de Sharpe da seguinte forma: considerando que pra cada medida de desvio padrão se obtém um número de retorno, então quanto maior for o Índice de Sharpe, melhor. Isso acontece porque ou o denominador –  desvio padrão – é baixo, ou o numerador – o retorno excedido do mercado – é alto. Ou seja, quanto maior o índice de Sharpe melhor é a relação risco x retorno do portfólio de investimentos.

Qual é a vantagem de utilizar o Índice de Sharpe?

O modelo CAPM e o Índice de Sharpe são muito conhecidos e utilizados no mercado financeiro. Ambos fazem sentido quando acompanhamos uma grande quantidade de investimentos ao mesmo tempo. Quem geralmente faz isso são os gestores de fundos ou de investimentos que, na verdade, são combinações de outros investimentos. Eles utilizam o Índice de Sharpe como forma de avaliar o risco de suas carteiras. Mas será que este indicador é útil para o pequeno investidor? Bem, com base em minha experiência, acredito que o Índice de Sharpe não seja tão prático para os pequenos investidores.

Os dados passados são importantes, porém existem também muitas outras variáveis que precisam ser incluídas nas análises pra que se possam ser tomadas boas decisões de investimentos. Por exemplo, existem fatores estruturais e econômicos que são geralmente são um pouco mais fáceis de analisar e mais práticos quando queremos avaliar riscos de um investimento.

Logo, o Índice de Sharpe faz mais sentido para aqueles que acompanham um grande volume de investimentos, como gestores de ativos, fundos, tais como Bancos, corretoras e outras instituições financeiras. Existem alguns outros indicadores financeiros, que junto com o índice de Sharpe, são utilizados pra se analisar a mesma coisa: o risco dos investimentos. São eles: a medida de Treynor (que divide o mesmo numerador pelo Beta) e o Appraisal Ratio (que divide o alfa da regressão pelo desvio padrão). Eles são considerados “primos” do Alfa de Jensen, e todos falam sobre as mesmas coisas sob pontos de vista diferentes. Para nós, pequenos investidores, estes indicadores são muito teóricos e geralmente não são tão simples de utilizar. Mas vale a pena se informar e ficar por dentro das teorias financeiras. Nunca se sabe quando pode chegar a hora de começar a utilizar este tipo de informação em suas análises :-).

Espero que esse artigo ajude você a entender bem o índice Sharpe, e como utilizá-lo. Se você  ainda ficou com dúvidas, ou se você quiser dividir sua experiência, deixe um comentário, assim todos crescemos juntos. 🙂

Compartilhe o artigo com seus amigos! Vamos ajudar a educação financeira atingir todos que estão à nossa volta!

Compartilhe este artigo também com seus amigos nas redes sociais:

Recomendo a leitura:

[magicactionbox]

Sobre Gisele

Sou apaixonada por finanças e investimentos. Essa paixão começou em 2004 quando comecei a investir em ações. Aqui no site tenho como objetivo ajudar meus leitores a entender como o mercado financeiro e a economia estão presentes no seu dia-a-dia e a melhorar sua capacidade de tomar boas decisões de investimentos para suas vidas. Eu invisto através da filosofia de investimento em valor e análise fundamentalista. Quero dividir um pouco do que aprendi com vocês e também, aprender sempre mais através dos seus comentários e suas dúvidas.

2 comentários

  1. Mauro Vendemiatti

    Oi Gisele, tudo bem? Li seu artigo sobre o Índice de Sharpe e achei bem legal. Parabéns pelo texto.
    Você diz que para o pequeno investidor talvez não faça tanto sentido a avaliação deste Índice, correto o meu entendimento né?, Mas estou com uma dúvida. Tenho analisado alguns fundos que pretendo investir e compara-los por, lógico, retorno histórico, risco e PL, além de tradição do gestor do fundo (meio que subjetivo, pois avalio basicamente seu nome e tradição no mercado, nada tão cientifico, não é mesmo?), e me deparei com 2 fundos onde basicamente tudo é 1/2 que parecido, exceto o índice sharpe onde para um fundo ele é 0,25 e no outro 0,30. Entendo que o de 0,30 seria um critério de desempate, mas pelo seu texto fiquei na dúvida se neste caso, tanto faz, já que estamos falando de algo muito pequeno e o indice sharpe neste cenário é irrelevante. O que você acha?

    • Olá Mauro!

      Sim, você pode utilizar o sharpe para desempatar sem sombra de dúvida e é super válido fazer isso. Eu não costumo muito analisar porque geralmente outros indicadores muitas vezes já são suficientes, e foi isto que quis dizer no artigo, mas com certeza você pode e deve utiliza-lo sempre que precisar! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *