Home / Mini-cursos / Como Investir no Tesouro Direto [2]: como funcionam os títulos

Como Investir no Tesouro Direto [2]: como funcionam os títulos

Desvendando o Tesouro Direto 2 - o que é o Tesouro Direto - Seu Guia de InvestimentosEste é o 2º artigo do mini-curso “Desvendando o Tesouro Direto”. No artigo de hoje você vai aprender tudo sobre como investir no Tesouro Direto e os primeiros passos pra começar a investir!

Mas antes de continuar, baixe o meu e-book “Guia 3 Passos Pra Investir Em Ações”, clicando aqui.

Tipos de Títulos do Tesouro Direto

O primeiro passo antes de começar a investir no Tesouro Direto é entender como cada dos títulos funciona. Quando você empresta seu dinheiro para o Governo, através dos Títulos Públicos Federais (que são vendidos pelo canal do Tesouro Direto), o Governo define o quanto de juros você vai receber pelo empréstimo.

Em geral, a rentabilidade pode ser dada em três modalidades:

  • Pré-fixados: juros pré-fixados são a rentabilidade fixa definida no momento da compra do título. Por exemplo: ao comprar uma LTN (Letra do Tesouro Nacional), você vai resgatar sempre R$ 1.000 ao final do investimento (por título). Então o seu rendimento já está fixo. Independente do que acontecer durante o investimento você terá em mãos os R$ 1.000 no vencimento.
  • Indexados: neste caso o rendimento é composto de duas partes, uma é fixa, e outra é atrelada à variação de algum índice entre a data da compra e a data do resgate, como por exemplo as NTN-Bs, que pagam IPCA + 6% ao ano em cupons de juros semestrais;
  • Pós-fixados: a rentabilidade depende exclusivamente da variação diária de algum índice, entre a data da compra, e a data do vencimento do título. Neste caso encontramos o Tesouro Selic (antiga LFT) que paga a variação diária da Taxa Selic entre estas duas datas.

Leia mais sobre estas modalidades de pagamentos de juros clicando aqui!

Os títulos também pagar essa rentabilidade de duas formas diferentes:

  • De uma só vez, quando você for resgatar o investimento no vencimento
  • Em “parcelas” semestrais, que são mais conhecidas como “cupons de juros”.

Pra entender o que são os cupons de juros, clique aqui.

Tipos de Títulos Públicos à venda pelo Tesouro Direto

Existem 6 tipos de Títulos Públicos que o Governo pode disponibilizar pelo Tesouro Direto para que as pessoas e empresas possam comprá-los. O título Tesouro IGPM (antiga NTN-C) é o que tem sido menos disponibilizado pelo Governo para compra no Canal do Tesouro Direto. Abaixo veja no diagrama como podemos classificar os títulos pela rentabilidade e pagamento ou não de cupons de juros semestrais:

Desvendando o Tesouro Direto 2 - Guia de Investimentos - Seu Guia de Investimentos

Os cupons de juros pagos pelo Tesouro Direto

Os cupons de juros semestrais que são pagos por diversos títulos do Tesouro Direto, como o Tesouro IPCA com juros , Tesouro IGPM com juros e Tesouro pré-fixado com juros semestrais, são pagamentos intermediários que ocorrem todos os semestres em pares de meses fixos. Estes pares de meses dependem do Título do Governo que você tiver comprado. Você pode consultar as datas de pagamentos de cada cupom de juros neste link.

Veja que quando você clica no link você é direcionado para a tabela abaixo onde ficam indicadas as datas de pagamentos dos juros por título, como na imagem abaixo:

Desvendando o Tesouro Direto 2 - datas de pagamento dos cupons de juros  - Seu Guia de Investimentos

Se você tem mais dúvidas sobre o que são os cupons de juros, veja este meu artigo.

Quais são os custos de transação que eu tenho ao investir no Tesouro Direto?

Ao investir no Tesouro Direto, os custos de transação relacionados ao investimento nestes títulos são dois:

  • Taxa de custódia de 0,3% ao ano sobre o valor total da sua carteira, cobrada semestralmente pela CBLC;
  • Taxa de administração da corretora (consulte este link).

 

Quais impostos irei pagar ao investir no Tesouro Direto?

Os impostos que investidor irá pagar são:

  • Imposto de renda: seguindo tabela regressiva por tempo de aplicação, inclusive para os cupons juros que forem resgatados e reinvestidos, veja na tabela abaixo:

Desvendando o Tesouro Direto -O que é Tesouro Direto - Imposto de renda - Seu Guia de Investimentos

  • Imposto sobre operações financeiras (IOF): para as transações que forem realizadas em prazo inferior a 30 dias corridos. Veja na tabela abaixo:

Desvendando o Tesouro Direto -O que é Tesouro Direto - IOF - Seu Guia de Investimentos

*Importante*: como recebi diversos e-mails com dúvidas sobre os impostos e taxas cobrados quando se investe no Tesouro Direto, eu escrevi mais um artigo dentro do mini-curso que é um adendo. Neste artigo eu explico no detalhe todos os custos de  transação relacionados ao Tesouro Direto. Para visitar este artigo sobre taxas e impostos, clique aqui.

No próximo artigo do mini-curso “Desvendando o Tesouro Direto” você vai aprender como investir nas LTNs, como elas funcionam, seus riscos, custos e vai entender o impacto que as taxas de juros têm para este investimento.

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos! Vamos ajudar a educação financeira atingir todos que estão à nossa volta! E deixe um comentário, pois essa troca é muito positiva!

Compartilhe este artigo também com seus amigos nas redes sociais:

Artigos do mini-curso “Desvendando o Tesouro Direto”:

  1. O que é o Tesouro Direto 
  2. Como funcionam os títulos (você está aqui)
  3. Como investir em Tesouro pré-fixado (antiga LTN)
  4. Como investir em Tesouro pré-fixado com juros semestrais (antiga NTN-F)
  5. Como investir em Tesouro Selic (antiga LFT)
  6. Como investir em Tesouro IGP-M (antiga NTN-C)
  7. Como investir em Tesouro IPCA com juros semestrais (antiga NTN-B)
  8. Como investir em Tesouro IPCA (antiga NTN-B Principal)
  9. Passo a passo: Imposto de Renda no Tesouro Direto
  10. Adendo: impostos e taxas no Tesouro Direto

*Novos Artigos*: acesse a página principal e leia os novos artigos e as melhores notícias sobre investimentos

[magicactionbox]

Sobre Gisele

Sou apaixonada por finanças e investimentos. Essa paixão começou em 2004 quando comecei a investir em ações. Aqui no site tenho como objetivo ajudar meus leitores a entender como o mercado financeiro e a economia estão presentes no seu dia-a-dia e a melhorar sua capacidade de tomar boas decisões de investimentos para suas vidas. Eu invisto através da filosofia de investimento em valor e análise fundamentalista. Quero dividir um pouco do que aprendi com vocês e também, aprender sempre mais através dos seus comentários e suas dúvidas.

10 comentários

  1. Misael da Silva

    Boa noite.
    Agradeço pelo o material está me ajudando muito a escolher outro título pós-fixados pois é muito arriscados hoje em título pré-fixados.
    A diferencia cada um dos títulos.
    Muito obrigado.

  2. Victor Augusto

    Olá, então meu nome é Victor, estou com 20 anos, e comecei a trabalhar numa empresa. Minha renda anual, não está dentro dos parâmetros pra pagar o IR. Mesmo assim, sou obrigado a pagar o IR se investir no Tesouro Direto?? E outra, você acha que compensa investir nesses títulos públicos, mesmo pagando variadas taxas e o IR??
    Obrigado!

    • Olá Victor!

      Se você não possui renda dentro da faixa especificada pela Receita, ou bens totais de R$ 300 mil, então não tem que declarar o Imposto de Renda. De qualquer forma as corretoras vão recolher o imposto de renda na hora do resgate/venda ou nos cupons de juros, ou seja, sempre que houver ganho de capital com títulos do Tesouro Direto, se paga imposto de renda. Mas a respeito de entregar a declaração, somente se você estiver dentro das condições informadas pela receita federal.
      Abraços!

  3. Roseli Rodrigues

    Estou amando as suas dicas. Bem explicado, qualquer um pode entender e já se animar para ir além!
    Gratidão pelo lindo trabalho. Abraços.

    • Olá Roseli!

      Que bom que está gostando do site! Se tiver dúvidas ou quiser deixar mais comentários, fique à vontade :-)!

      Abraços!

  4. Vinícius Vaz de Moura Oliveira

    Olá Gisele, gostaria de deixar uma pergunta:

    investi em um titulo pré-fixado ao IPCA para 2020 com uma taxa de 6,95. hoje ela subiu para mais de 7. o extrato diz que tive rentabilidade negativa de 0,5% como isso é possivel? não deveria ter aumentado a rentabilidade com o aumento da taxa?

    • Olá Vinicius,

      o titulo não gera rentabilidade quando o IPCA aumenta porque ele já estaria pré-fixado no cupom de 6%. É feita uma conta chamada “marcação a mercado” pra poder ajustar o preço dos títulos quando ocorre mudança nos parâmetros que definem a taxa e o preço. A rentabilidade não é negativa, a não ser que você venda o título no mercado antes do prazo.
      Abraços!

  5. Pedro Silva

    Bom Dia

    Não declaro imposto de renda , por ganhar aproximadamente 1.5. Caso investir o pouco que sobra do meu salário no tesouro direto, terei de declarar?.

    • Olá Pedro!

      Não precisará declarar o imposto, mesmo se investir, caso seja isento. Mas sempre paga, pois já vem recolhido antes de você recebe-lo.

      ABraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *