Home / Economia / Risco de calote ao investir no Tesouro Direto II

Risco de calote ao investir no Tesouro Direto II

Corro o risco de perder meu dinheiro no Tesouro Direto?No artigo anterior comecei a explicar se existe a possibilidade de quem investe no Tesouro Direto não receber o dinheiro de volta do Governo – o risco de calote no Tesouro Direto. Neste artigo vou finalizar minhas explicações sobre dívida pública brasileira, e espero ajudar vocês leitores, a entenderem esse cenário econômico, que parece complicado, mas não é :-)! Vamos lá!

(Já baixou meu ebook SUPER Técnica de Investimentos? Não? Clica aqui!)

Entendendo melhor a Dívida Pública Brasileira, ou Dívida do Governo

O passo que precisamos dar pra entender se há risco de não recebermos nosso dinheiro ao investirmos no Tesouro Direto é entender como está a Dívida Pública Brasileira hoje!

De tudo que o Governo deve, quanto você acha é o dinheiro devido a pessoas como eu e você?

Pra responder isso, vamos ver quem são os credores da Dívida Pública Brasileira (dados de ago/2015):

  • 25% são Bancos (e isso é preocupante, pois se os Bancos tomarem calote e ficarem insolventes, eu, você e a economia como um todo sofreremos amargas consequências);
  • 20% são Fundos de Investimento
  • 19% são estrangeiros
  • 20% são Planos de Previdência (você já comprou algum?)

Somando os números acima você deve ter percebido que não chega nos 100%. É porque o restante são seguradoras, Governos, e “outros”. Estima-se que menos que 1% dessa dívida toda seja referente a Tesouro Direto vendido a pequenos investidores.

Como o Governo pode contornar o problema de falta de recursos

Já falei no artigo anterior que o Governo emite dívida através dos títulos do Tesouro Direto. O Governo tem dívidas como qualquer pessoa, só que ele é diferente de mim ou de você porque ele pode simplesmente emitir mais dívidas pra pagar suas dívidas antigas, ou, em última instância, imprimir papel moeda e pagar as dívidas que deve.

Seria como pegar um novo empréstimo pra pagar um antigo, mas sem compromisso de pagar. É isso que o Governo faz. Ele emite novos títulos do Tesouro Direto, e com o dinheiro que entra, paga os títulos que estão pra vencer.

O impacto que a perda do rating teve sobre o Tesouro Direto

O problema com isso é que as pessoas precisam querer emprestar dinheiro pro Governo, pra quererem comprar os títulos do Tesouro Direto. E uma coisa que afeta isso é o rating do país.

Você lembra quando o Brasil perdeu o Grau de Investimento (o rating), em 2015? Quando um país é rebaixado no rating, sua dívida pública do país passa a ser vista com outros olhos, tanto pra quem é do Brasil, como pra estrangeiros.

Isso quer dizer que fica mais difícil tomar dinheiro emprestado de estrangeiros, e até mesmo de brasileiros, porque todo mundo começa a achar que é mais arriscado investir no Brasil.

Já expliquei no meu artigo sobre risco, que quanto maior o risco de um investimento, maior a remuneração. Então, os efeitos do rebaixamento da nota do Brasil é que o Governo tem que aumentar os juros que oferece, pra tomar dinheiro emprestado das pessoas.

Quer saber como o mundo está enxergando a dívida pública brasileira?

Existe uma espécie de seguro contra “calotes”, chamado “Credit Default Swap”. Não se assuste com o termo. É simplesmente um seguro que os investidores estrangeiros fazem, quando investem em países que consideram arriscados. Eles vão na seguradora, pagam um valor, e garantem que o dinheiro que investiram no Brasil não vai ser perdido no caso de calote. Sabe o seguro do seu carro? É quase igual. Você paga por um pequeno valor e recebe o valor do carro, se algo acontecer com ele (se você sofrer algum acidente com o carro ou algo do tipo), não é? No caso do Credit Default Swap, o investidor paga um valor pequeno, e recebe o valor total que investiu no caso de um “acidente”, que acontece quando o país no qual se investe quebra.

O importante a saber daqui é que esse tipo de seguro tem se tornado cada vez mais caro, o que mostra que investidores estrangeiros estão bastante preocupados com seus investimentos no Brasil.

O impacto da dívida pública na sua vidaEntão qual é o risco de eu não receber o dinheiro que investi no Tesouro Direto?

Apesar de todo esse mau cenário a respeito da Dívida Publica Brasileira, é remota a chance do Governo não devolver o dinheiro investido no Tesouro Direto. Lembre que menos de 1% da dívida do Governo está com pessoas como eu e você, que investimos no Tesouro Direto.

No pior dos cenários, o Governo pode imprimir dinheiro e pagar a dívida. Isso vai gerar inflação, e você já viu nos meus artigos anteriores como a inflação é importante pra quem investe! Mas esse é um dos meios que o Governo tem pra evitar o calote com os investidores.

Na minha opinião, os Bancos e Fundos são os que correm mais risco, pois eles é que emprestaram mais dinheiro pro Governo. Não se engane pensando que se os Bancos quebrarem nada vai acontecer com você. Lembra da crise na Grécia em 2015? Se os Bancos ou Fundos tomarem um calote, a população toda sofrerá, pois todos nós temos conta em banco.

Resumindo a história do Tesouro Direto e da Dívida Pública Brasileira: ainda vale a pena investir?

Na minha opinião ainda dá pra investir no Tesouro Direto sim, apesar de tudo. Pra quem investe fora do Brasil, encontrar um investimento que pague Inflação + 6% é uma raridade. Já expliquei em artigos anteriores a relação entre juros e riscos

Se você possui investimentos no Tesouro Direto, não fique inseguro. Por enquanto o investimento no Tesouro Direto é seguro, e não irá afetar pequenos investidores como eu e você. Lembre que o Brasil é uma das poucas economias no mundo que paga juros de 14% ao ano ou mais, na renda fixa. Por isso, aproveite isso pra turbinar seus investimentos. E se o cenário mudar, fique tranquilo que eu publicarei artigos falando :-)!

Gostou do artigo? Deixe um comentário e compartilhe!

Recomendo a leitura:

Compartilhe nas redes sociais:

[magicactionbox]

Sobre Gisele

Sou apaixonada por finanças e investimentos. Essa paixão começou em 2004 quando comecei a investir em ações. Aqui no site tenho como objetivo ajudar meus leitores a entender como o mercado financeiro e a economia estão presentes no seu dia-a-dia e a melhorar sua capacidade de tomar boas decisões de investimentos para suas vidas. Eu invisto através da filosofia de investimento em valor e análise fundamentalista. Quero dividir um pouco do que aprendi com vocês e também, aprender sempre mais através dos seus comentários e suas dúvidas.

8 comentários

  1. Misael

    excelente artigo.
    O governo irá paga as dívidas, mesmo que para isso aumente a inflação e impostos.
    Desda não sábia que a população ficava somente com 1% dos títulos.(aprendi mas esta).

    • Olá Misael!

      Obrigada pelo comentário!

      As informaçoes sobre os títulos, como por exemplo, quem são os atuais detentores, ficam disponiveis no site do tesouro nacional, é super simples de ver, se você quiser ver, pode consultar este link [clique aqui].

      Abraços!

  2. Gisele, também estou lendo muito sobre o TD pois tenho um blog e atualmente acho um dos investimentos mais seguros, principalmente para quem deseje se aposentar. investir em um Plano de Previdência Privada que te cobra um monte de taxas, descontos e descobrir ao estudar um pouco que eles fazem o que nós poderíamos estar fazendo (aplicar no TD) é abusar da nossa inteligência. Hoje invisto no IPCA+ 2035 sem medo…..

    Obrigado por nos fornecer importantes informações e continue assim!

    • Olá Walter!

      Fico feliz que o artigo tenha sido útil! Você está certíssimo, vale a pena se informar um pouco para conseguir identificar melhores investimentos do que a previdência privada, que atualmente é muito cara. O Tesouro Direto por enquanto ainda é seguro. Vamos acompanhar para ver se continua assim.
      Abraços!

  3. Tatiana

    Bom dia! Sugiro que coloque a data nos seus artigos, pois o que se fala hoje, pode não valer para amanhã. Aliás, quando este foi publicado?

    • Olá Tatiana,

      Anotei sua sugestão, estou vendo com o pessoal que me dá suporte aqui no site pra ver se colocamos!
      Abraços!

  4. Carol

    Gisele olá tudo bom? Gostei muito das suas palavras neste post e gostaria de saber aonde você encontrou os dados das porcentagens e de quem são os credores da divida publica.

    Desde já agradeço

    Carol

    • Olá Carol!

      Desde Bancos até estrangeiros, fundos de pensão! No site do Tesouro Nacional você encontra esta informação,

      abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *